11 de agosto de 2011

NOTA DO PCB - JUIZ DE FORA - JORNADA NACIONAL DE LUTAS DE 17 A 26 DE AGOSTO

A crise política e econômica que devasta vários países em todos os cantos do mundo é o resultado do fracasso do capitalismo. Os trabalhadores têm sido as grandes vítimas de quebras de bancos, de corporações empresariais. O dinheiro público tem servido apenas para socorrer e salvar essas elites.

As guerras que atingem países como o Afeganistão, o Iraque, a Líbia, cumprem apenas o papel de saque das riquezas naturais dessas nações para sustentar a quebradeira dos chamados grandes.

Em todos os lugares o povo sai às ruas exigindo mudanças no modelo, protestando contra governos autoritários e cada vez mais somos governados por agências e outras denominações, cujos integrantes não têm o respaldo do voto popular.

Reinventar a democracia para que os trabalhadores sobrevivam é uma atitude de luta e indispensável.

A realidade primeira de cada um de nós é a cidade. A nossa cidade.

Transportes coletivos, saúde, educação, serviços básicos que os governos municipais devem prestar por serem direito da população e dever do Estado, são privatizados ou usam o artifício da terceirização. Entregam a empresas privadas e pagam um alto custo com o dinheiro do trabalhador. Usam os impostos para beneficiar a minoria.

Em Juiz de Fora o descaso e a irresponsabilidade do governo Custódio Matos é visível em cada rua. A demagogia de obras de pura aparência e situações de caos na saúde, custos absurdos nos transportes, salários abaixo da crítica para trabalhadores do município uma Câmara Municipal ausente e submissa pela maioria dos vereadores a políticas de trocas e favores posta em prática pelo prefeito atual.

Uma cidade abandonada à sua própria sorte. O contrato feito com a empresa Queiroz Galvão – ré em vários processos de corrupção – para a construção do aterro sanitário de Dias Tavares, em violação clara às leis ambientais e com a conivência dos órgãos estaduais é outro ponto de gravidade. Lixos de cidades vizinhas como Ubá, Santos Dumont, etc, estão sendo despejados aqui.

É a demonstração maior de como o atual prefeito enxerga a cidade. Um depósito de lixo.

Sem participação popular não vamos conseguir reverter esse quadro e em breve o caos que toma conta de cidades na Europa, na América Latina, nos Estados Unidos (onde o índice de desemprego atinge a 25% e o de sem teto ultrapassa a 30% da população trabalhadora), no Oriente Médio, na Ásia e na África.

É hora de irmos às ruas e exigir dos governos que a democracia seja plena e com ampla participação popular e não nos gabinetes dos líderes políticos e dos grandes banqueiros, empresários e latifundiários.

Ou assumimos o controle dos nossos destinos e construímos a cidade que queremos, o estado e o Brasil dos nossos anseios, ou seremos varridos no processo terminal do capitalismo, bem ao gosto de governos como o de Antônio Anastasia, Custódio Matos e muitos outros espalhados pelos municípios e estados brasileiros.

E antes que a crise bata às nossas portas e sejamos de fato um depósito de lixo de grandes empresas.

É hora de lutar e não há democracia sem participação popular. 

ATO NO CALÇADÃO DIA 18 DE AGOSTO. DIA DE LUTA!


Juiz de Fora, 11 de agosto de 2011.

Comitê Municipal do Partido Comunista Brasileiro
Juiz de Fora - Minas Gerais

Postagens relacionadas

NOTA DO PCB - JUIZ DE FORA - JORNADA NACIONAL DE LUTAS DE 17 A 26 DE AGOSTO
4/ 5
Oleh

Assine via e-mail

Por favor inscreva-se para receber as ultimas postagens no e-mail.

1 comentários:

comentários
avatar
Anônimo
13 de agosto de 2011 09:17

Ótima nota. Estaremos na luta!!

Responder